Website on global south and decolonial issues.

Junho 6, 2010

O caçador de diamantes

O subsolo da Guiné-Conakry é rico em diamantes e ouro. Acima do solo quase metade da população vive abaixo do nível de pobreza. Um português aliou-se a um guineense para caçar riquezas no coração da África Ocidental.

Ler mais

O poder destrói o sonho? sobre “Behind the Rainbow” de Jihan El Tahri

A cultura de solidariedade entre os membros do ANC durante os anos de luta tornou-se corrupta quando acederam ao poder e à gestão económica. Ficamos a pensar como a questão do poder se transforma em acesso a privilégios, longe da luta contra a pobreza, objectivo primordial do ANC. Este olhar sem condescendência é simultaneamente apaixonante e necessário para enfrentar a História contemporânea e deixarmo-nos de mistificações.

Ler mais

O sentido do afecto

Ana Clara Guerra Marques, coreógrafa e directora artística deste espectáculo inédito no nosso ambiente cultural, arrumou um conjunto bem uniforme e bem contrastante de meios humanos e técnicos para levar ao palco um ritual de dança sagrado e ao mesmo tempo profano, já que conseguiu unir no mesmo gesto rítmico o espírito da máscara e a química inefável da sombra.

Ler mais

África tem nome de mulher

“Nossos Lugares Proibidos”, documentário de Leila Kilani, regressa à repressão política em Marrocos do tempo de Hassan II. Três gerações de marroquinos evocam uma história completamente humana, feita de laxismo e de heroísmo face ao terror político. Apesar da serenidade, todos os intervenientes formam um quadro actual de Marrocos – continuam assombrados pelos seus “enterrados vivos” da prisão de Tazmamart e por tantos gritos de desespero que poucos ousaram sequer ouvir.

Ler mais

Tambor rebentando o silêncio amargo, a vida cultural na Mafalala

Ali viveu Craveirinha e Eusébio aprendeu a jogar. Moraram lá Machel, Chissano, Mocumbi. É só estrelas no bairro que tem nome de dança macua – Li-Fa-La-La -, pronto para receber os turistas do Mundial de Futebol. A história do bairro da Mafalala faz-se ainda muito de relatos orais, por isso um passeio para ver pelos seus olhos, ouvir com os seus ouvidos e sentir tudo o resto será melhor do que ler esta reportagem.

Ler mais