Website on global south and decolonial issues.

Dockanema

O cinema africano entre sonho e realidade

Os festivais de cinema africanos nasceram nos anos sessenta, num ambiente de revolução cultural e independências políticas, e foram em parte fruto de iniciativas privadas, que foram mais tarde institucionalizadas pelo estado. Ao longo dos anos, o cinema africano foi ganhando cada vez mais visibilidade internacional.

Ler mais

Dockanema 2011

Não poderia haver melhor escolha, ao abrir o 6º Dockanema, que o filme de Patrício Guzman “Nostalgia da Luz “, numa edição que se propõe render homenagem ao cineasta Ruy Guerra, para mais uma vez reafirmar esse propósito.
Os primeiros filmes do Patrice Guzman foram mostrados em Moçambique logo após a independência, e ele é um dos raros realizadores cuja toda a obra cinematográfica foi mostrada no nosso país. Escolhi a Nostalgia da Luz, por ser, na minha opinião, o melhor exemplo disponível do documentário como memória de um povo.

Ler mais

Dockanema – O documentário como acto de resistência e guardião da memória

Pelo quinto ano consecutivo o Festival do Filme Documentário, Dockanema 2010, realizou-se em Maputo para continuar a trazer às sala de cinema moçambicanas realidades do mundo que, de outra forma, correm o risco de ficar no esquecimento. Em relação às nossas estórias e à nossa História, como sociedade, temos a obrigação de exercer constantemente esse dever de memória. Somos a nossa memória, sem memória passamos a não saber para onde caminhamos, sem rumo, como zombies”, defende Pedro Pimenta.

Ler mais

Dockanema: a realidade surpreendida e reinventada

No conjunto das disciplinas artísticas, e não só, que perseguem a representação da realidade, o documentário é, certamente, uma das que mais interrogações provoca. Tradicionalmente virado para um olhar fragmentado do mundo que nos rodeia e do devir do que acontece, o documentário actual coloca-nos problemas e desafios acrescidos quer na tentativa de enquadrá-lo dentro de uma determinada tipologia, quer na interpretação dos significados que dissemina.

Ler mais

África tem nome de mulher

“Nossos Lugares Proibidos”, documentário de Leila Kilani, regressa à repressão política em Marrocos do tempo de Hassan II. Três gerações de marroquinos evocam uma história completamente humana, feita de laxismo e de heroísmo face ao terror político. Apesar da serenidade, todos os intervenientes formam um quadro actual de Marrocos – continuam assombrados pelos seus “enterrados vivos” da prisão de Tazmamart e por tantos gritos de desespero que poucos ousaram sequer ouvir.

Ler mais