Website on global south and decolonial issues.

Festival Alkantara

Estratégias para acarrar: o projeto TERRA BATIDA

Fazer rede mantendo autonomia, mapear conflitos sócio ambientais, friccionar saberes, linguagens, perspectivas e impasses, acompanhar contextos específicos e agregar conhecimento singular e local, foram alguns dos desejos que moveram residências de pesquisa e encontros entre intervenientes das áreas da dança, cinema, performance, artes visuais com cientistas, agrónomos, arqueólogos, cooperativas e ativistas nas regiões de Ourique, Castro Verde, Montemor-o-Novo, Aveiro, Ílhavo e Gafanha da Nazaré.

Ler mais

Os conflitos ambientais e as artes numa rede de Terra Batida

Um projecto singular. Juntar artistas, activistas ou cientistas em diversos territórios, do Alentejo a Aveiro, num processo de questionamento dos confliitos socioambientais, e daí nascerem uma série de apresentações, de Vera Mantero a Rita Natálio, no festival Alkantara. É a rede Terra Batida. É quase um festival dentro do festival. A partir deste domingo, dia 15, e até 27 de Novembro, a rede Terra Batida propõe performances, conversas, pesquisas e debates, no Teatro São Luiz , em Lisboa, no contexto do Alkantara Festival. (…) Propostas artísticas, da autoria de Marta Lança, Rita Natálio, Vera Mantero, Ana Rita Teodoro, Sílvia das Fadas e Joana Levi.

Ler mais

Centro de Dia

Toda a audiência expectante e especada à espera do início do espectáculo. Penso na tarde que passei. Convidam-nos para uma selva evocando, estereofonicamente, Tarzan. A selva da vida, pensa-se; o imaginário colonialista, evoca-se. Os actores reais espreitam na porta depois das funcionárias ultra-reais darem o mote do início do espectáculo. Bebo o meu último gole de água, da garrafa de um dia muito quente. Entramos com a mostragem de uma placa a sinalizar o capítulo: “todos os dias”.

Ler mais

Dança contemporânea africana: uma oposição criativa às imagens estereotipadas da africanidade

De que modo a dança africana e a corporalidade considerada africana são usadas enquanto meio estético em práticas culturais comuns à Europa? Que imagens da dança e performance africanas são criadas pelo discurso europeu? Na perspectiva africana, aborda-se as (re)acções e escolhas individuais dos bailarinos e coreógrafos africanos face a vários desafios. Terá o discurso europeu grande influência nas decisões dos bailarinos e coreógrafos africanos?

Ler mais