Website on global south and decolonial issues.

prisão política

Excertos do Livro “Prisão Política”

Mabiala ainda estava acordado. Sorrateiramente, começámos a falar, tentando perceber aquela requisição nocturna e tão imprecisa. Preparei-me para o pior. Podendo ser o momento da execução, retirei da Bíblia o papelinho que continha o número de telemóvel da Neusa. Coloquei no bolso da calça.

«Se me matarem e atirarem o corpo para alguma mata ou rua, pelo menos alguém encontrará um número para contactar. Se for ao rio, espero que os jacarés não comam o papel e a água não apague totalmente o número», pensava.
O meu «compuna» – calão para companheiro de cela – acreditava ser uma transferência para o Hospital-Prisão de São Paulo.

Ler mais